• Secretário da Previdência admite que reforma vai ser mais danosa para os servidores públicos
  • 12 maio 2019

Para o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, o impacto da Reforma da Previdência proposta pelo governo “será 14 vezes mais forte sobre os servidores que no INSS”.

A seu ver, os cálculos do governo mostram que a economia de R$ 807,9 bilhões esperada com a reforma no INSS no período de dez anos recairá sobre 71,3 milhões de segurados, o que resultaria em uma economia de R$ 11,3 mil por contribuinte.

No caso dos servidores federais, argumenta o secretário, com a mudança nas regras vai poupar R$ 224 bilhões em igual período, sobre 1,4 milhão de trabalhadores. O que equivale a economia de R$ 157 mil por indivíduo.

Marinho defende a criação do regime de capitalização, no qual o trabalhador contribui para uma conta individual que bancará sua aposentadoria. Admitiu neste argumento que há desvios dentro do sistema previdenciário: “Se mantivermos a situação atual, vamos continuar subsidiando e retirando recursos de outras atividades igualmente importantes, deixando de aplicar onde há maior vulnerabilidade”.

Mas enfatizou que a proposta do governo assegura o pagamento de pelo menos um salário mínimo na capitalização e prevê a possibilidade de haver contribuição patronal.