• Governo do Paraná propõe reajuste salarial para servidores de 5,09% parcelado em quatro anos
  • 04 jul 2019

O governador do Estado do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior (foto), do PSD, propôs aos servidores o reajuste salarial de 5,09% para todos os segmentos da categoria, parcelado em quatro anos. A proposta foi feita após mais de dois meses do impasse que gerou a greve de parte do funcionalismo estadual.

De acordo com o governador, o impacto total do reajuste será de R$ 2,1 bilhões no orçamento do estado até 2022.

A proposta prevê o reajuste de 0,5% em outubro, e mais 1,5% em março de 2020, 1,5% em janeiro de 2021 e 1,5% em janeiro de 2022. No entanto, a proposta do governo ressalva que os reajustes de 2021 e 2022 fica na dependência do crescimento da receita corrente líquida do estado.

Os servidores reagiram à proposta, que classificaram como “indecente”, “vergonhosa” e anunciaram que “a greve continua”. Mesmo segmentos do funcionalismo que não aderiram à greve, a exemplo da polícia civil, também criticaram a proposta do governador.

O presidente da Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP), Ademar Traiano (PSDB), afirmou que a proposta do governo será apreciada em regime de urgência pelos deputados. Conforme relatou, “há consenso e unanimidade entre todos os deputados, porque o governador faz um esforço descomunal para propor essa iniciativa”. Para ele, “em um momento de crise extrema, caótica, que o país vive, o Estado dá uma demonstração de respeito a seus servidores. Lamentavelmente não se pode atender em sua plenitude [as reivindicações dos servidores]”.